Assista nossos programas:

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Verão aumenta a incidência de parasitas em animais de estimação

Época do ano propicia a infestação de carrapatos, mosquitos e pulgas, especialmente em casas de veraneio, que nas férias, recebem toda a família e os pets
Com o aumento da temperatura e a aproximação do verão é preciso redobrar os cuidados dispensados aos animais de estimação. Nesta época do ano, é comum que as famílias em férias migrem para casas de veraneio no litoral e campo, que muitas vezes, permaneceram fechadas ao longo do ano, sendo este cenário propício para o surgimento de parasitas como pulgas, carrapatos e mosquitos. A infestação do animal pode ser evitada quando o proprietário atenta para fatores que favorecem a proliferação das parasitas. No caso das pulgas, deve-se dar uma atenção especial para o local em que o animal dorme, pois é ali que se concentra a maior parte dos ovos, larvas e pupas, estágios inferiores desses parasitas. “Uma vez no ambiente, os ovos podem permanecer no local por até um ano”, afirma Patrícia Ferrante de Almeida, médica veterinária com especialização em Dermatologia na Universidade de São Paulo (USP). Além de trazer incômodos como alergias e coceiras, estes parasitas também podem transmitir doenças graves aos animais e seres humanos. Cães e gatos afetados por pulgas podem contrair o dipylidium caninum, parasita que ataca o intestino e causa diarreia, com consequente perda de peso. Ambos também podem ter processos alérgenos desencadeados como a dermatite alérgica à picada de pulgas (DAPP), além de anemia e estresse.

Em se tratando de carrapatos, é importante serem observados lugares que são mais favoráveis ao surgimento da parasita como batentes de porta e janela, rodapés, embaixo de móveis e estrados de cama, frestas, muros e paredes. Os carrapatos causam doenças como a erliquiose, a babesiose e a hepatozoonose, patologias que, quando não tratadas, atacam os glóbulos vermelhos e brancos e podem levar à morte. “As pulgas e carrapatos não são meros parasitas transitando pelo corpo do animal, todo proprietário precisa realizar o tratamento preventivo mensal em cães e gatos e, em caso de infestação, deve utilizar produtos adequados até eliminar totalmente o problema, evitando assim consequências mais graves”, comenta a Dra. Patrícia.

E a prevenção também é a melhor alternativa para evitar a infecção do cão com a leishmaniose, uma doença que pode levar à morte do animal, sendo transmitida por mosquitos contaminados pelo protozoário Leishmania s.p.. O mosquito transmissor pode ser encontrado em ambientes ao ar livre, como campo, litoral e parques, desta forma, é imprescindível prevenir o animal contra esta contaminação, mesmo em regiões em que não há relatos da doença.

Para eliminar os focos de parasitas e proteger o pet, inclusive durante o verão, é essencial que sejam adotadas medidas de prevenção, ou em casos de infestação, de tratamento. A aplicação mensal de Advantage® Max3, produto desenvolvido pela Bayer, trata e controla as infestações no animal, que fica protegido contra os carrapatos, o mosquito transmissor da leishmaniose, a dirofilariose (doença causada por verme que se desenvolve no coração do pet) e a pulga. O Advantage® Max3 é comercializado em quatro apresentações que atuam de acordo com o peso do animal (até 4 kg, entre 4 kg e 10 kg, entre 10 kg e 25 kg, e para cães acima de 25 kg). Com aplicação fácil, sendo o conteúdo direcionado na nuca do pet, após afastar os pelos, o produto possui uma eficácia de até quatro semanas e pode ser aplicado após o banho e tosa.

Em animais contaminados por pulgas, é importante que o proprietário faça um tratamento integrado, observando também a limpeza do local. “Qualquer espaço que tenha a presença de larvas propicia a reinfestação do animal, por não ter sido realizado um controle ambiental adequado, por isso também é muito importante que o proprietário atente para esta necessidade”, afirma a Dra. Patrícia. Em um mês, dez pulgas depositam mais de 15 mil ovos na casa, sendo que em condições ideais de temperatura e umidade, as pupas (casulos) eclodem entre oito e dez dias, e as pulgas jovens saem à procura dos animais. Para realizar este tratamento integrado e auxiliar no controle ambiental, a Bayer disponibiliza o Fleegard®, um antipulgas para aplicação em lugares internos. Indica-se que o produto seja utilizado em todos os cômodos e locais habitados por cães e gatos, como tapetes, estofados, almofadas, poltronas, rachaduras e fendas de assoalhos, rodapés, cobertas e cama, incluindo a do animal, além dos bancos dos carros, garagem e sótão. Para manter o local protegido, basta uma ou duas aplicações de Fleegard® ao ano.

Dicas para livrar-se das parasitas
- Faça um tratamento preventivo em cães e gatos. Quando usados mensalmente, os produtos previnem contra a infestação de parasitas no animal e no ambiente.
- Utilize uma linha de tratamento específica para aplicação em animais e no ambiente, composta por produtos adequados e seguros, além de atentar para a limpeza de cada lugar habitado pelo pet.
- Observe as indicações de uso e as instruções que constam na embalagem de cada produto direcionado ao tratamento do animal e do ambiente.
- Prossiga com o tratamento até a eliminação total das parasitas. Caso o tratamento não traga o efeito esperado, consulte um médico veterinário para receber orientações adequadas.

Sobre a Bayer Saúde Animal
Proteger os animais e beneficiar as pessoas. É com esta missão que a Bayer pesquisa e desenvolve desde 1919 produtos farmacêuticos e de higiene para uso veterinário tanto para animais de companhia, quanto para animais de produção. Atualmente, aproximadamente 100 diferentes produtos são comercializados ao redor do mundo. No Brasil, a área de Saúde Animal atua em três unidades de negócios: Animais de Companhia; Aves; Suínos e Aquacultura e Bovinos.

No segmento de Animais de Companhia, a Bayer entende a relação entre os proprietários e seus pets e por isso oferece produtos específicos para cada situação. Os destaques são a linha Drontal®, com a qual a Bayer HealthCare conquistou a liderança no segmento de vermífugos, o antiparasitário Advantage® Max 3, único com tripla proteção para cães, o Advocate®, que oferece proteção completa e prevenção contra parasitas internos e externos, e o vermífugo tópico para gatos Profender® SpotOn®, que combate todos os tipos de vermes adultos e larvas e garante uma aplicação sem estresse.

Fonte: Cibele Pereira - Bayer

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

3ª CÃOMINHADA DE SANTO ANDRÉ

No próximo dia 17 de outubro (domingo) das 9h às 14h, o Projeto Empreender – Núcleo de Pet Shop da ACISA – Associação Comercial e Industrial de Santo André e o Singular, por meio da ESPA – Equipe Singulariana de Proteção aos Animais, realizarão a 3ª edição da Cãominhada de Santo André.

O evento será realizado no estacionamento do Paço Municipal de Santo André e entre as atrações programadas estão uma caminhada de cães; orientação veterinária; tosa canina; desfile de moda com animais; dicas sobre comportamento animal; show de Agility; show com cães; campanha de medição de obesidade de animais; apresentação do canil da Policia Militar de São Paulo; maquiagem infantil e escultura com bexigas.

Está confirmada também a presença do cão Max, de A Fazenda; haverá animais disponíveis para adoção, além de distribuição de brindes e de kits “cata caca”.

O evento é gratuito, mas quem quiser colaborar poderá levar 1 kg de ração para cães que será revertida para ONGs de proteção animal de Santo André.

Projeto Empreender: O projeto teve início em 2006 com a parceria da ACISA, SEBRAE e FACESP - Federação das Associações Comerciais e Industriais do Estado de São Paulo. Seu objetivo é aprimorar a competitividade e o desenvolvimento organizacional das micro e pequenas empresas por meio do associativismo.

O Projeto Empreender da ACISA possui atualmente sete núcleos e conta com trabalhos específicos voltados para empresas do segmento de drogarias e farmácias, de escolas particulares de educação infantil, de lavanderias, reparadores automotivos, pet shop, confecções e beleza.

ESPA : Em 2008, alguns professores e funcionários do Colégio Singular, preocupados com o grave problema social que é o abandono de animais nas ruas, decidiram formar a Equipe Singulariana de Proteção aos Animais (ESPA). O Colégio Singular, por meio do trabalho da ESPA, inseriu o tema na programação pedagógica do Ensino Fundamental e tem procurado educar seus alunos para respeitarem e cuidarem dos animais.

A ESPA orienta as famílias a priorizarem a adoção de animais e evitar comprá-los e este trabalho é desenvolvido com alunos, pais, funcionários e voluntários. Além de arrecadação de ração, arroz e medicamentos encaminhados a ONG’s e pessoas que abrigam grande quantidade de animais abandonados, a ESPA também promove castrações, cirurgias e tratamento de animais doentes ou acidentados recolhidos por protetoras que não possuem condições financeiras de arcar com estas despesas.

Data: 17 de outubro
Horário: 9h às 14h
Local: Paço Municipal de Santo André – Estacionamento

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Encoleiramento de cães será avaliado pelo Ministério da Saúde como ferramenta para a prevenção da leishmaniose

Autoridades do Ministério da Saúde anunciaram que, em 2011, avaliarão o encoleiramento em massa de cães como medida de controle da leishmaniose visceral. Inicialmente, serão selecionadas de 6 a 10 cidades endêmicas, onde os índices da doença são elevados tanto em cães quanto em humanos, para distribuição gratuita de coleiras impregnadas com deltametrina a 4%, princípio ativo repelente e inseticida, recomendado pela Organização Mundial da Saúde como forma de controle da doença.

A decisão foi anunciada em audiência agendada, no Ministério da Saúde, para a entrega de documento que reivindica a inclusão do encoleiramento em massa no programa federal contra a Leishmaniose Visceral Americana. Subscrito pela presidente da UIPA (União Internacional Protetora dos Animais) Vanice Orlandi; pelo coordenador do Projeto Focinhos Gelados Fowler Braga; e pelo deputado Federal Ricardo Tripoli (PSDB/SP), o documento foi dirigido ao Secretário da Vigilância Sanitária Gérson Penna, e entregue à diretora de Vigilância Epidemiológica, Dra. Carla Magda Domingues; e à coordenadora de Vigilância das Doenças Transmitidas por Vetores e Antropozoonoses, Dra. Ana Nilce Elkhoury.

Ao contrário da política adotada pelo Ministério da Saúde como única alternativa possível ao controle da doença - a eutanásia, a presidente da UIPA, Vanice Orlandi, explica que a prevenção é a principal arma existente. “A eutanásia é pouco aceitável e tem baixa eficiência devido à alta taxa de reposição dos cães. Está provado por estudos científicos que, com essa medida, a incidência de leishmaniose visceral humana se mantém elevada e em expansão pelo País. Portanto é ineficaz”, enfatiza. E acrescenta: “Além disso, a eliminação de animais ainda se presta a desviar o verdadeiro foco da questão, que é o combate ao vetor, responsável pela transmissão da doença”.

Para evitar que os cães sejam infectados, a solução é preveni-los. “Por isso, após diversos estudos, concluímos que o encoleiramento em massa dos cães é a melhor solução para evitar com que fiquem doentes. Com essa medida, haverá uma consequente diminuição da incidência de casos de leishmaniose canina e também no número de eutanásias”, ressalta Vanice.

Diversos estudos nacionais e internacionais comprovam a eficácia da coleira impegnada com deltametrina como uma das ferramentas que auxilia na prevenção da leishmaniose. Além deste benefício, a presidente da UIPA enumera que, com o encoleiramento, haverá uma melhor relação custo X benefício para o governo e à população, por ser uma medida mais barata aos cofres públicos. “Além de ter mais efetividade, o governo gastará menos dinheiro com a compra das coleiras do que matando os cães infectados, atitude que, além de cara é ineficaz”, argumenta.

Para finalizar, Vanice Orlandi informou que as autoridades do Ministério da Saúde anunciaram uma campanha publicitária abrangente de conscientização sobre prevenção à leishmaniose, que deve atingir todo o país. “De nada adianta fazermos um programa de encoleiramento se as pessoas não adotarem outras atitudes simples para ajudar a combater a doença, como, por exemplo, a limpeza de quintais com a remoção de fezes e restos de folhas e frutos em decomposição, uma vez que o mosquito que transmite a doença ao cão e ao homem coloca os ovos em locais ricos em matéria orgânica em decomposição”, informa a presidente da UIPA.

Primeiro passo: o encoleiramento em massa

Para tentar diminuir a incidência da doença nos seres humanos e a prevalência canina, o Ministério da Saúde, por meio da Portaria 1.426/2008, proíbe o tratamento de cães infectados com medicamentos humanos. Isso vem impossibilitando os cuidados com os animais, já que não existem medicamentos veterinários registrados no Brasil, que viabilizem o tratamento da leishmaniose canina. Com isso, a prevenção continua sendo a principal arma no controle e combate à leishmaniose.

Como os cães são os principais reservatórios da doença, mesmo que donos burlem a lei e façam o tratamento, eles continuarão sendo transmissores. Vale ressaltar que o tratamento do cão elimina os sintomas, mas não o parasita.

Com o encoleiramento, os cães não serão infectados e, por possuir efeito inseticida, a coleira ainda ajudará a eliminar o vetor – o mosquito palha, transmissor da leishmaniose visceral. “O encoleiramento em grande escala produziria o denominado “efeito rebanho”, que é a extensão de efeito protetor também aos não encoleirados, reduzindo-se a força de infecção pela barreira imposta pela coleira”, finaliza a presidente da UIPA, Vanice Orlandi.

O início da proposta

Há 10 anos a UIPA trabalha contra a eliminação injustificada de animais. Desde 2005 à frente da presidência, Vanice Orlandi, ativista há 18 anos, fez uma pesquisa na literatura existente sobre o controle da leishmaniose visceral na América Latina e concluiu que o número crescente de casos verificados e sua expansão por regiões anteriormente não afetadas colocam em dúvida a eficácia das medidas de controle empregadas contra a doença como, a eutanásia dos cães soropositivos.

Com isso, em maio de 2010, Vanice protocolou representação no Ministério Público Federal solicitando providências contra a eliminação em massa de cães como medida de controle da Leishmaniose Visceral, além da implantação de ações eficazes de prevenção da doença. “Nos cães, a medida preventiva mais eficaz, segundo os estudos técnicos, é o encoleiramento em massa, com a coleira, impregnada com deltametrina a 4%, princípio ativo repelente e inseticida, recomendado pela Organização Mundial da Saúde. Decerto que o encoleiramento importa em gastos bem menores do que os empregados com a matança, que é cruel, além de dispendiosa para os cofres públicos”, afirma Vanice Orlandi, advogada e presidente da UIPA.

Além disso, a eliminação de cães soropositivos não vem contendo o avanço da doença. O deputado Ricardo Tripoli ressalta que a falta de eficácia das atuais medidas preventivas está prejudicando e matando não somente animais, mas humanos em todo o País. “Não justifica continuar fazendo o que comprovadamente é caro, ineficaz e cruel. Vamos lutar, ao lado da UIPA e de todas as entidades que defendem e protegem os animais, para sensibilizar o Governo e pedir medidas mais eficazes, que atinjam todos os Estados; medidas que não incluam a dor e o sofrimento”, garante o parlamentar ambientalista.

Sobre a leishmaniose visceral

A leishmaniose visceral, também conhecida como calazar, é uma doença causada por um parasita – o protozoário Leishmania chagasi – que se multiplica nas células de defesa do organismo causando alterações importantes nos rins, fígado, baço e medula óssea. É uma doença que tem grande importância para a saúde pública por se tratar de uma zoonose de alta letalidade. Ela é transmitida ao homem e ao cão, principalmente, através da picada de um mosquito conhecido popularmente como “mosquito palha”. O cão tem um importante papel na manutenção da doença no ambiente urbano visto que pode permanecer sem sintomas, mesmo estando doente.

Considerada um problema de saúde pública mundial, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a leishmaniose visceral registra anualmente 500 mil novos casos humanos no mundo com 59 mil óbitos. Hoje já são 12 milhões de pessoas infectadas no mundo. Quando não tratada, pode evoluir para óbito em mais de 90% dos casos. É a segunda doença parasitária que mais mata no mundo, atrás da malária.
Na América Latina, ela já foi detectada em 12 países e, destes, cerca de 90% dos casos acontecem no Brasil, onde, em média, 3.500 pessoas são infectadas e o número de óbitos é de aproximadamente 200, anualmente.

A doença que até a década de 90 estava concentrada no Nordeste do país, hoje, está se expandindo para as outras regiões. Por exemplo, as regiões Norte, Sudeste e Centro Oeste, que na década de 90 representavam menos de 10% do total de casos, passaram a representar 26% do total de casos em 2001 e mais de 52% do total de casos em 2008.

Sobre a UIPA

A UIPA, União Internacional Protetora dos Animais, é uma associação civil sem fins lucrativos, fundada em 1895, que instituiu o Movimento de Proteção Animal no País, lutando contra a crueldade e o abandono que vitimam os animais.

Além do trabalho jurídico e político que realiza na área de proteção animal, a UIPA abriga cerca de mil e quinhentos animais abandonados, muitos dos quais foram resgatados pela própria entidade por terem sofrido maus-tratos. Mais informações: www.uipa.org.br

Acupuntura é apontada como tendência para tratamento de cães e gatos

NürnbergMesse Brasil fomenta discussão da técnica durante os congressos da 9ª Pet South América 2010. Pesquisa da UNESP de Botucatu revela que 25% das doenças tratadas são de origem neurológica e 50% dos caninos da mostra têm de um a cinco anos
A técnica milenar chinesa de terapia com agulhas é hoje um dos principais tratamentos veterinários usado pelos brasileiros e a 9ª edição da Pet South América, organizada pela NürnbergMesse Brasil, confirma esta tendência. Durante o evento, Gerson Gerstler e Clarissa Niciporciukas discutirão a relação da medicina chinesa e acupuntura, metodologias, acupuntura para tratamento de felinos, entre outros aspectos.

As palestras acontecerão durante o 10º Conpavepa - Congresso Paulista de Clínicos Veterinários de Pequenos Animais e o VIII Conpavet - Congresso Paulista de Medicina Veterinária, de 6 a 8 de outubro de 2010, no Expo Center Norte.

Segundo Lígia Amorim, diretora geral da NürnbergMesse Brasil, “a evolução e desenvolvimento da medicina ocorre também no segmento veterinário e muitas técnicas bem sucedidas, como a acupuntura, ganham destaque principalmente entre os proprietários de cães e gatos”. Segundo a Associação Nacional dos Fabricantes para Animais de Estimação (Anfalpet), o Brasil possui cerca de 33 milhões de cães, 17,5 milhões de pássaros, 17 milhões de gatos, 8,5 milhões de peixes e 2 milhões de outras espécies.

Estudo realizado pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia - UNESP de Botucatu, em São Paulo, de 1998 a 2009, revelou que entre todos os atendimentos realizados pelo Departamento de Cirurgia e Anestesiologia Veterinária a acupuntura foi a primeira opção em 47% dos casos. Deste total, 93,8% foram de cães, na maioria entre um a cinco anos (49,57%) cujas doenças mais tratadas foram as de origem neurológica, totalizando 25%, seguida por patologias osteomuscular.

O estudo tratou, além de cães e gatos, aves, roedores e mustelídeos (lontras, doninas e texugos) e as maiores dificuldades para tratamento de acupuntura nestas espécies foram a variação estrutural e funcional, pacientes agressivos, agitados e assustados, inerentes à medicina veterinária.



Anote na agenda:



9ª Pet South America
Data: 6 a 8 de outubro de 2010 – quarta, quinta e sexta-feira
Horário: das 13h00 às 21h00
Local: Expo Center Norte – Pavilhão Vermelho – Rua José Bernardo Pinto, 333 - Vila Guilherme – São Paulo, SP
Aviso: como se trata de um evento exclusivamente direcionado a profissionais do setor, é proibida a entrada de menores de 16 anos, mesmo que acompanhados pelos pais.



Conpavet
Local: Centro de Convenções Expo Center Norte – Rua José Bernardo Pinto, 333 - Vila Guilherme - São Paulo - SP

Conpavepa
Local: Novotel - Center Norte – Av. Zarchi Narchi, 500 - Vila Guilherme - São Paulo - SP



Mais informações: http://www.petsa.com.br.



Interzoo 2010

A NürnbergMesse também é a organizadora da Interzoo, maior feira para o setor pet do mundo, que acontecerá de 17 a 20 de maio de 2012, em Nürenberg – Alemanha. O evento bienal, com o mesmo perfil de público que a Pet South America, em 2010 registrou a presença de 1.500 expositores de 54 países e mais de 38.000 visitantes de 115 países.

Mais informações estão disponíveis no link: http://www.interzoo.com/en/default.ashx.



Sobre a NürnbergMesse Brasil

Responsável por promover os mais importantes encontros de fornecedores, distribuidores e revendedores do país em suas feiras de negócios, a NürnbergMesse Brasil é uma filial do Grupo NürnbergMesse e uma das maiores empresas internacionais organizadoras de eventos e exposições no Brasil, apresentando no último ano um crescimento de 16% em relação a 2008. A empresa movimenta diversos segmentos da economia nacional, com alto nível de profissionalismo e competência. Os principais eventos são Kitchen & Bath Expo, Revestir, FCE Pharma e FCE Cosmetique, PET South America, Glass South America, Analitica Latin America e Expo4Health.



Sobre o NürnbergMesse Group

Com um volume de transações acima de 150 milhões de euros, o NürnbergMesse Group é uma das 20 maiores empresas organizadoras de feiras do mundo e faz parte das 10 maiores empresas da Europa. O portfólio inclui mais de 120 feiras e congressos internacionais em Nuremberg e em todo o mundo. Anualmente, são mais de 27.000 expositores (37 % internacional), mais de 1 milhão de visitantes (20 % internacional) nos eventos organizados pelo NürnbergMesse Group. O Grupo emprega atualmente 285 funcionários, com planos de crescimento. Fazem parte do grupo as empresas: NürnbergMesse China, NürnbergMesse North America, NürnbergMesse Brasil e NürnbergMesse Itália. O Grupo NürnbergMesse possui uma rede com cerca de 50 representantes que operam em 73 países.



Mais informações: http://www.nm-brasil.com.br / http:/www.nuernbergmesse.de  http://www.s2publicom.com.br/ e http://twitter.com/s2publicom.

Sorvete para cães

Bastante conhecido nos Estados Unidos e na Europa, os sorvetes para cães estão conquistando os consumidores de produtos para pets em todo o Brasil

Seja no inverno ou no verão, nada melhor do que um delicioso sorvete para refrescar e dar um sabor a mais na rotina do dia a dia. Até os animais de estimação se rendem a essa deliciosa guloseima. A novidade é que os mascotes já têm um sorvete produzido especialmente para eles, com ingredientes especiais e sabores exclusivos.

Alice Pádua, proprietária do Feras & Fofos, pet shop de São José do Rio Preto que já oferece o produto, explica que o sorvete para cachorros já é uma das guloseimas mais procuradas pelos clientes. “A maioria dos nossos clientes adoram fazer um agrado aos seus animais. Nós sabemos, por meio de pesquisas realizadas pelo Ibope, que mais de 80% das pessoas que têm um mascote em casa consideram seus pets membros da família”, diz.

Além dos tradicionais sabores de chocolate, morango, menta e creme, os animais podem encontrar o sabor bacon, bastante apreciado pelos bichinhos. A diferença do sorvete convencional para a guloseima para pets é a redução da lactose em quase 50% e a ausência do açúcar e da gordura hidrogenada, que são prejudiciais para os animais de estimação. Segundo a veterinária Márcia Saes, alguns ingredientes encontrados nos sorvetes comuns, para humanos, podem ser prejudiciais à saúde dos animais e nenhuma guloseima deve substituir a ração.

Mercado Pet Food

Segundo pesquisas realizadas pelo Ibope, 64% das famílias da classe C possuem animais de estimação, enquanto nas classes A e B esse número é de 63%. Desses pets, apenas 37% consomem alimentos produzidos pelas indústrias do mercado de pet food, segundo estatísticas da Associação Nacional dos Fabricantes de Produtos para Animais de Estimação, a Anfal Pet.

Segundo dados da Anfat, o crescimento do consumo do alimentos para pet entre os anos de 1995 e 2002 foi de 400%, caractereizando como um dos mercados que mais se destacaram. Nos últimos cinco anos, o aumento do mercado de pet food foi em média de 10 a 12% ao ano.

INTERCÂMBIO RACIAL

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Vacinação Contra Raiva em Cães e Gatos > De 16 a 29 de agosto de 2010

Proteja seu animal de estimação vacinando-o anualmente.

Para a realização da Campanha de Vacinação Contra a Raiva em Cães e Gatos, que acontece de 16 a 29 de agosto, cerca de 2 mil postos estarão disponibilizados em todas as regiões da cidade. A Coordenação de Vigilância em Saúde (COVISA), da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), realizará a campanha por meio do seu Centro de Controle de Zoonoses (CCZ). A vacinação é gratuita e obrigatória com base em lei municipal.

Cães e gatos a serem vacinados

A população animal alvo da campanha são os cães e gatos acima de três meses de idade, inclusive as fêmeas que estiverem amamentando, prenhes ou no cio. A vacina é aplicada com seringas e agulhas descartáveis e o responsável pelo animal recebe um comprovante de vacinação.

Onde vacinar

A relação dos postos, com locais e datas por região, pode ser consultada no site www.prefeitura.sp.gov.br/covisa, ou na Central 156 da prefeitura. A vacinação será realizada das 9 às 17 horas.

Raiva: vacinar é prevenir

A raiva é uma doença transmissível de animal para animal e de animal para o ser humano, cuja transmissão ocorre pelo contágio direto, isto é, pelas mordidas, arranhões ou lambedura de cães, gatos, morcegos ou outros mamíferos infectados.

Nos centros urbanos, cães e gatos, por terem o hábito de caçar, estão mais expostos, podendo entrar em contato com morcego infectado e, dessa forma, virem a contrair a doença. A raiva humana em regiões urbanas é prevenida por meio da vacinação anual de cães e gatos.

Faça o RGA de seu animal de estimação

O Registro Geral Animal – RGA é a identificação para cães e gatos, documento obrigatório com base na lei municipal nº 13.131/01, que pode ser obtido no Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) ou em estabelecimentos veterinários, credenciados pelo CCZ. Para emissão do RGA, o proprietário deve apresentar o comprovante atualizado de vacinação contra raiva.

NO DIA DA VACINAÇÃO, RECOMENDA-SE:


- Cães dóceis devem estar com coleira e guia, e ser conduzidos por pessoas com tamanho suficiente para controlá-los e contê-los na hora de tomar a vacina;
- Animais bravos devem estar com focinheira para não oferecer nenhum risco de agressão ao proprietário ou outras pessoas;
- Gatos são naturalmente muito assustados e precisam ser transportados em caixas de transporte ou similar, para que se evitem fugas ou acidentes;
- Animais doentes não devem ser vacinados. Exemplos: animais com diarréia, secreção ocular ou nasal, sem apetite, animais que estão convalescendo de cirurgias ou outras enfermidades,
- Crianças não devem levar os animais para vacinar.

domingo, 11 de julho de 2010

ASPÉCTOS NUTRICIONAIS APLICADOS À CARDIOLOGIA DOS CÃES

Do mesmo modo que os seres humanos, os pequenos animais vivem pelo fato de possuírem milhões de células constituindo seus sistemas e operando na produção de energia por meio do metabolismo celular. Para que a produção de energia e calor seja mantida, o organismo deve estabelecer uma constante renovação de suas estruturas.
Tal processo requer presença das substâncias envolvidas nas reações de combustão que são responsáveis pela geração da molécula ATP que, por sua vez, é considerada a "moeda energética" do organismo.
Os alimentos são fontes de nutrientes que serão transformados e incorporados pelos tecidos para cumprir finalidades básicas do organismo, como proporcionar a energia necessária para manter a integridade e o perfeito funcionamento das estruturas corporais, prover materiais necessários para formação destas estruturas e suprir as substâncias indispensáveis para regulação do metabolismo.
A importância dos alimentos não é medida apenas pelo desempenho e valor dos seus constituintes, mas também pelos possíveis danos que a ausência ou excesso destes podem acarretar ao organismo animal.
Para que as substâncias atinjam seu destino e sejam submetidas ao metabolismo elas precisam ser conduzidas.
O sistema cardiovascular assume papel fundamental nesta distribuição, uma vez que o sangue é um meio de condução e atua como veículo para a maioria dos processos homeostáticos, desempanhando papel em quase todas as funções fisiológicas e tornando compreensível a importância do coração. Tal órgão funciona como uma bomba de pressão que ejeta o sangue para todas as estruturas corporais, permitindo, assim, a chegada dos nutrientes em cada célula do organismo. Entende-se, a partir daí, a necessidade da manutenção da integridade do sistema cardiovascular cujas funções desempenhadas são, de fato, essenciais.
Sob circunstâncias normais, as células do músculo cardíaco operam quase que exclusivamente sob um sistema metabólico aeróbico que fornece suprimento constante de ligações de fosfato de alta energia para realização do trabalho quimico e mecânico. Geralmente, o principal combustível para a contratilidade miocárdica são os ácidos graxos livres, sendo ainda contribuintes a glicose e o lactato, ao passo que os aminoácidos, as cetonas e o piruvato contribuem em escala bem menor.
As mitocôndrias são os principais locais onde ocorrem os processos aeróbicos oxidativos e a L-carnitina é a principal responsável pelo transporte dos ácidos graxos de cadeia longa através da membrana mitocondrial, para que a oxidação e geração de energia possa ser efetivamente realizada.
Os ácidos graxos possuem diferentes interesses nutricionais, pois podem atuar simplesmente como fornecedores de energia ou, ainda, desempenhar funções estruturais e funcionais, uma vez que encontram-se presentes no organismo compondo membranas celulares e atuando como precursores dos mediadores de cédulas e hormônios.
As doenças miocárdicas surgem quando o próprio músculo cardíaco está acometido por processos patológicos. Essas afecções podem resultar de processos degenerativos, infecciosos, imunomediados, genéticos, metabólicos, isquêmicos, tóxicos ou da combinação destes processos produtores de doenças.
Entre as enfermidades que acometem o coração destaca-se a cardiomiopatia dilatada que é caracterizada pela insuficiência miocárdica sistólica. Sua causa na maior parte dos casos individuais em cães e gatos, bem como em outrasespécies, continua desconhecida. Contudo, tal doença tem sido associada a uma variedade de agressões potenciais do miocárdio, incluindo aquelas provocadas por mutações genéticas, agentes infecciosos, defeitos bioquímicos das mitocôndrias e proteínas, toxinas, mecanismos imunológicos e deficiências nutricionais.
O principal aspecto fisiopatológico da cardiomiopatia dilatada é a baixa contratilidade miocárdica, desencadeando redução do débito cardíaco e, consequentemente, a ativação dos mecanismos compensatórios, ocasionando retenção de sódio e água e desse modo, levando a vasoconstrição. As câmaras do coração apresentam-se ditaladas e a evolução natural da enfermidade acaba por culminar a insuficiência cardíaca.
A L-carnitina é um composto encontrado no organismo como seu constituinte natural, sendo definida quimicamente como amina quaternária. De fato, é considerada como um aminoácido, por ser sintetizada no fígado e nos rins a partir de aporte de aminoácido essenciais, especialmente lisina e metionina, além de ácido ascórbico, niacina, piridoxina e ferro.
Na cardiomiopatia dilatada associada a erros metabólicos, como nos defeitos da beta-oxidação e nas doenças mitocondriais, ocorre acúmulo de ácidos orgânicos intermediários. A L-carnitina conjuga-se a esses ácidos removendo-os da mitocôndria e fazendo com que sejam excretados pela urina.
Assim, o tratamento da cardiomiopatia dilatada secundária aos defeitos da beta-oxidação deve incluir a suplementação com L-carnitina.
Em cães com cardiomiopatia dilatada já se demonstrou melhora clínica 24 semanas início da suplementação com L-carnitina. Ressalta-se que, naquela ocasião, houve uma recidiva da doença após a interrupção do tratamento com tal aminoácido.
Estima-se que 40% dos cães acometidos pela enfermidade em tela apresentam deficiência miocárdica de carnitina, embora 80% possam apresentar teores plasmáticos normais ou elevados. Tal assertiva permite crer que a carência dessa substância decorre de outras anomalias bioquímicas que podem resultar de falhas no transporte através de membranas.
A deficiência em L-carnitina pode ser do tipo sistemica ou miopática. Na deficiência sistêmica, seus níveis no soro, músculo, coração e fígado encontram-se reduzidos devido à falha em sua síntese ou reabsorção renal, enquanto na deficiência miopática sua concentração normal ou aumentada no plasma está associada a teores musculares cardíacos e esqueléticos baixos em face à redução do seu transporte para o interior da mitocôndria. Isso torna a avaliação da carnitina plasmática um teste insensível para o deficit de carnitina miocárdica.
As quantidades encontradas em alimentos industrializados são de 50mg e 200 mg de L-carnitina por quilo de alimento, dependendo da indicação.No manejo das cardiomiopatias preconiza-se a adição de 50 mg/kg à terapia convencional em intervalos de 8 horas, embora se trate de prática muito onerosa e, por isso, não considerada como recomendação universal.
Segundo vários ensaios clínicos com muitas espécies, inclusive o cão, a L-carnitina, por ser transportadora de ácidos graxos de cadeia longa, estimula a utilização dos lipídios com efeito benéfico, uma vez que proporciona manutenção da massa muscular e diminuição das gorduras, fato interessante em período de perda de peso.
Além de carreador dos ácidos graxos para dentro da mitocôndrias a L-carnitina e seus ésteres possuem ações de citoproteção perante a hipóxia e estresse oxidativo em várias doenças cardíacas. Também foi comprovado que a administração de vitaminas e antioxidantes como vitamina C (ácido ascórbico) e vitamina E (alfa-tocoferol) previne o aparecimento de lesões oxidativas nas células miocárdicas.
Quando os fatores promotores da oxidação se sobrepôem aos preventivos da mesma forma ocorre o estresse oxidativo. Este, por sua vez, altera a estabilidade das membranas celulares que perdem sua fluidez, interrompendo a comunicação entre células. Os radicais livres atacam a estrutura interna das cédulas, danificando o material genéticos e levando a modificação grave ou morte celular. Moléculas de vitamina C e E, em conjunto, interrompem tal fenônomeno. A vitamina E parece exercer outros efeitos nos fatores de risco cardiovasculares, atuando como antioxidantes biológico dentro dos fosfolipídeos de membrana e para que sua eficácia seja conservada, torna-se necessária a presença de vitamina C.
Em alimentos para carnívoros, geralmente a vitamina C não está presente. Mesmo assim, é pouco provável que haja carência, visto que estes animais podem sintetizá-la no fígado a partir da glicose. Em momentos de estresse, os níveis séricos de vitamina C podem estar diminuídos, mas a adequada suplementação de vitamina C para cães e gatos, em dosagens de 3 e 0,5g ao dia, respectivamente, não mostrou nenhum efeito adverso.
A cardiomiopatia dilatada em gatos está associada principalmente à deficiência de taurina. Em 1987 foi descoberto que vários gatos portadores dessa cardiopatia apresentavam deficiência de taurina e sua suplementação revertia a doença miocárdica. Desde que as dietas comerciais sofreram reformulações e tiveram seu conteúdo de taurina aumentados, a forma clínica da doença reduziu significativamente, se tornando incomum entre os felinos.
A taurina é um aminoácido sulfônico sintetizado pela maioria das espécies a partir da metionina e cisteína. Em gatos, esse processo não supre todas as necessidades metabólicas do animal, pois além de possuírem atividade reduzida da enzima que converte cisteína em taurina, tal espécie depende da taurina para conjugação dos ácidos biliares, o que os difere das outras espécies onde há utilização  da glicina para este fim, resultando em conservação da taurina.
Ademais, nos fatos a taurina conjugada é lançada no intestino, onde perde sua ligação com os ácidos biliares e pode, tecnicamente, ser absorvida, embora a excreção pelas fezes ou degradação pelos microorganismos intestinais sejam, ainda, causas importantes de sua depleção.
Normalmente, a carne contém quantidade suficiente deste aminoácido para atender as necessidades dos felinos. Entretanto, certas rações comerciais amplamente baseadas em cereais são deficientes em taurina. A taurina não se encontra incorporada à proteínas, está livre em tecidos de origem animal, principlamente nos músculos, vísceras e cérebro. Sua função ainda não foi completamente elucidada, contudo acredita-se que este aminoácido exerça papel no transporte transmembrana de cálcio, na estabilização de membranas e como neurotransmissor inibitório.
A deficiência de taurina ocorre, mais frequentemente, em felinos alimentados com rações para cães, alimentos caseiros ou comidas vegetarianas. Dietas com elevadas concentrações de fibras e/ou lipídios aumentam a necessidade de taurina por alterarem a excreção de ácidos biliares. Além disso, rações com proteínas de baixa digestabilidade intestinal, aumentando a degradação da taurina refletindo em dimunuição de seus níveis séricos. A concentração plasmática de taurina sofre influência significativa da quantidade desta na dieta, do tipo de dieta e do momento de obtenção da amostra com relação ao da ingestão do alimento. Para o diagnóstico da cardiomiopatia dilatada em gatos pode-se constatar concentração plasmática de taurina de 20 nmol/mL ou menos, o que substancia a carência deste nutriente. Acredita-se ainda que gatos com concentração plasmática inferior a 60nmol/mL devam receber dieta suplementada com taurina.
Devido ser um aminoácido altamente solúvel em água, tecidos de origem animal que são fornecidos após o cozimento podem apresentar níveis reduzidos de taurina, fato não observado em alimentos fornecidos assados.
A porcentagem de taurina para alimentos com nível protéico de 28% com indicação preventiva para problemas cardíacos é de 0,1%, enquanto que em alimentação indicada para tratamento de cardiopatias é de 0,19% com 25% de proteína.
Um quadro clínico de cardiomiopatia dilatada pode deflagrar uma insuficiência cardíaca congestiva. A insuficiência cardíaca congestiva é uma síndrome clínica caracterizada por alterações complexas nos mecanismos de controle cardiovascular que surgem quando a capacidade de trabalho da bomba cardíaca encontra-se reduzida e o débito cardíaco torna-se insuficiente para suprir a demanda de sangue oxigenado necessário ao metabolismo tecidual.
Em alguns casos, as alterações hemodinâmicas são complicadas pela redução na contratilidade e no relaxamento do músculo cardíaco, resultantes de distúrbios bioquímicos identificados na insuficiência cardíaca congestiva do trabalho cardíaco efetivo causado por diminuição da produção de energia na mitocôndrias, redução da taxa de utilização de energia e possivelmente no acoplamento excitação-contração.
Nas afecções cardíacas, a pressão sanguínea permanece geralmente normal, apesar da limitação do débito cardíaco, fato este decorrente da ativação de mecanismos compensatórios de dilatação e hipertrofia cardíaca, taquicardia e aumento da resistência vascular sistêmica por vasoconstrição periférica. Tal síndrome está associada a um aumento da atividade do sistema nervoso simpático, elevação na concentração circulante de noradrenalina e aumento da atividade do hormônio modulador simpático, a angiotensina.
O tratamento médico sintomático da ICC inclui redução da aticidade e da ansiedade, redução de edemas e derrames, manutenção do débito cardíaco e meljora da oxigenação tecidual. Tal terapia visa melhoria na qualidade e duração de vida dos pacientes, sendo a maior parte dos fármacos utilizados no tratamento classificadas como diuréticos, drogas inotrópicas positivas e vasodilatador. É interessante notar que a insuficiência cardiaca causa o comprometimento da capacidade de excreção de água e sódio. Portanto, a redução de sal na dieta é recomendada com finalidade de reduzir o acúmulo de fluído e as drogas utilizadas para o tratamento. O nível de restrição de sal recomendada geralmente depende da gravidade da síndrome. Em cardiopatias assintomáticas, por exemplo, dietas pobres em sódio não são aconselháveis, uma vez que provocam a ativação do sistema renina-angiotensina-aldosterona intensamente.
Antes que os sinais da insuficiência cardíaca se estabeleçam, deve-se evitar restos de comida ou petiscos que contenham alto conteúdo de sal. Alimentos ricos em sódio incluem carnes processadas, fígado, rim, peixe enlatado, queijo, margarina, vegetais, guloseimas e petiscos para cães como ossos de couro e biscoitos.
Quando a forma clínica da insuficiência cardíaca se desenvolve, torna-se indicada a restrição moderada de sal o que representa uma ingestão de sódio de aproximadamente 300mg/Kg/dia. As dietas formuladas para animais idosos ou com doença renal geralmente fornecem este nível de sal. Para isso existem formulações caseiras ou dietas comerciais disponíveis no mercado. Restrição maior de sódio pode ser encontrada, ainda, em dietas formuladas especificamente para cardiopatas, o que pode ser útil para pacientes com insuficiência cardíaca avançada, embora sea consenso que a restrição exagerada de sódio possa exacerbar a ativação neurohormonal e contribuir para a hiponatremia.
Uma dieta equilibrada e ingestões calórica e protéixa adequadas são importantes, uma vez que nos animais apresentando insuficiência cardíaca congestiva o desgaste muscular e perda de gorduras podem ocorrer. Desde muito tempo já se descrevia a associação entre a desnutrição e a insuficiência cardíaca congestiva em seus estágios mais avançados. Dentre uma série de manifestações clássicas da doença cardíaca, destacam-se graus variados de depleção protéico calórica e quadros extremos genéricamente denominados de caquexia cardíaca.
A caquexia, por sua vez, é um processo multifatorial causado por anorexia, aumento do requerimento energético e aumento de citocinas circulantes. Fatores múltiplos envolvidos em sua patogênese incluem produção de substâncias que suprimem o apetite e causam hipercatabolismo. Um método que modula a produção e os efeitos das citocinas e ainda garante suporte nutricional é a suplementação com ácidos graxos polinsaturados (ácido eicosapentaenólico-EPA e docodahexaenólico-DHA), cujo benefício estende-se, ainda, à possível minimização das ocorrencias de arritmias cardíacas. A inclusão de óleo de peixe rico em ômega-3 na dieta pode melhorar a condição corpórea do animal apresentando insuficiência cardíaca congestiva, podendo até mesmo, em alguns casos, aumentar o apetite destes animais.
Mesmo sendo recomendada uma dieta rica em lipídios para insuficientes cardíacos, deve-se frisar que o consumo excessivo eleva a densidade energética e a taxa de gordura, resultando em obesidade. Cães e gatos que recebem tais dietas hipercalóricas podem, adicionalmente, apresentar hipertensão arterial sistêmica, hipertrofia ventricular esquerda e alterações de condução cardíaca. Tais alterações são primariamente relacionadas à sobrecarga de volume sanguíneo decorrente do excesso de tecido adiposo. Desse modo, deve-se enfatizar a importância em determinar as necessidades calóricas e protéicas do animal bem como aplicar as devidas restrições calóricas observando os aspectos fundamentais da nutrição de cães e gatos com o intuito de prevenir, bem como tratar os transtornos causados pelo desiquilíbrio nutricional.

CONCLUSÃO:
A adoção da suplementação nutricional ou de dietas nutricionalmente balanceadas possivelmente tem contribuído para a diminuição do número de determinadas enfermidades cardíacas que acometem parte da população dos pequenos animais. A adequação da quantidade de nutrientes na dieta fornecida aos cães e gatos pode ser útil não apenas na prevenção, mas em terapias de algumas cardiopatias e/ou da síndrome insuficiência cardíaca congestiva, contribuindo com aumento da longevidade e o bem-estar dos animais de companhia.

Texto extraído do Artigo Científico nº 7 - Divisão Veterinária - Tecnologia Total em Alimentos
http://www.totalalimentos.com.br/ - 0800-725 8575

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Zoonozes promove mutirão gratuito de castração de animais em Americanópolis

O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), da Coordenadoria de Vigilância em Saúde (Covisa), em parceria com a Supervisão de Vigilância em Saúde (Suvis) de Santo Amaro/Cidade Ademar, da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), promove um mutirão gratuito de castração de cães e gatos, de 12 a 14 de julho, na EMEF Maria Lucia dos Santos, localizada na rua Estampa Esportiva, 55, em Americanópolis, Zona Sul da Capital. Na semana que vem, moradores do Jabaquara também poderão cadastrar seus animais para outro mutirão de castração gratuita, que será realizado entre os dias 16 e 18 de julho.
Em Americanópolis, os interessados deverão comparecer à unidade escolar para cadastramento dos animais nos dias 7 e 8 de julho, das 10h às 16h, portando documento de identificação pessoal com foto (carteira de identidade ou habilitação), CPF e comprovante de endereço. Cada inscrito terá o direito de solicitar a castração de até dez animais e, no ato da inscrição, será informado o horário do procedimento cirúrgico do animal. A expectativa é que sejam castrados 500 animais nos três dias do mutirão.
"A esterilização, além de impedir crias indesejadas, pode ter como resultado animais mais caseiros, menos agressivos (dependendo do tipo e se castrados antes da puberdade), diminuindo as fugas e o risco de se perderem e serem atropelados. Também promove a redução de doenças causadas por hormônios (tumor de mamas, de próstata, etc) e o desenvolvimento de doenças comuns no útero e nos testículos. Apesar de ajudar a diminuir a agressividade, eles continuam sendo bons cães de guarda e podem crescer mais do que animais não castrados", explica a médica-veterinária do CCZ, Tamara Leite Cortez.
O Mutirão gratuito de castração faz parte do Programa Permanente de Controle Reprodutivo de Cães e Gatos. Os animais castrados sairão já com o Registro Geral de Animais (RGA) e vacinados contra a raiva.
O CCZ realizou, no fim do ano passado, estudos para determinar quais Distritos Administrativos (DA) deveriam ser priorizados e quais as áreas que mais precisavam desse serviço, em 2010. Para isso, utilizou indicadores como índices de exclusão social, casos de agressão por animais, densidade populacional de cães, porcentual homem-cães e pedidos de remoção de cães soltos em via pública.
Jabaquara terá serviço
Os donos de cães e gatos do Jabaquara também terão poderão se beneficiar do serviço de castração gratuita dos animais de estimação nos dias 16, 17 e 18 de julho.
As vagas são limitadas e é necessária a inscrição antecipada que será feita nos dias 12 e 13 de junho, das 8h30 às 16h, mediante apresentação do RG, CPF e comprovante de residência. Somente adultos poderão inscrever e levar os animais no dia da castração. No dia da inscrição não é necessário levar o animal.
A inscrição e a castração no Jabaquara serão realizadas na EMEF Almirante Ary Parreiras, na Rua Ipaobi, 142, Vila Babilônia.
O CCZ também realiza o cadastramento dos animais para castração gratuita, de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h. Essas cirurgias são realizadas em clínicas veterinárias contratadas. Para tanto, é necessário que o proprietário do animal leve RG, CPF e comprovante de residência. Se o animal já tiver RGA, é importante também levar esse documento.

Serviço:
Mutirão de castração de cães e gatos
Americanópolis
Local: EMEF Maria Lucia dos Santos
Endereço: Rua Estampa Esportiva, 55, Americanópolis
Inscrição: 7 e 8 de julho, das 10h às 16h
Castração: de 12 a 14 de julho
Jabaquara
Local: EMEF Almirante Ary Parreiras
Endereço: Rua Ipaobi, 142, Vila Babilônia
Inscrição: 12 e 13 de julho, das 10h às 16h
Castração: 16, 17 e 18 de julho
Documentos necessários: carteira de identidade ou habilitação (documento com foto), CPF e comprovante de endereço

quinta-feira, 1 de julho de 2010

HUMOR: CURSO DE ABRAÇO PARA CÃES

Instruções de como abraçar um bebê:



1. Primeiro, ah... Encontre um bebé:



















2. Segundo, tenha certeza que o objecto encontrado seja mesmo um bebê, utilize a técnica do faro.





















3. A seguir amacie o bebê antes de começar o processo do abraço.



















4. 'A técnica do deslize de patas'
Deslize as patas em volta do bebé e prepare o abraço.




















5. Finalmente, pegue a câmara fotográfica, e execute a difícil arte de abraçar, sorrir e inclinar ao mesmo tempo, para conseguir a melhor foto!























SE você não passar esse e-mail para os amigos, um cachorro vai fazer xixi no seu computador! !




















quarta-feira, 30 de junho de 2010

CÃES LABRADOR ESTÃO SENDO TREINADOS PARA DETECTAR RISCOS DA DIABETES

Na foto, a menina Rebecca Farrar com a cadela Shirley - Fonte: BBC


Foi publicado no site da Globo o caso da cadela labrador chamada Shirley, que compõe o grupo de dez cães que estão sendo treinados pela entidade beneficente Cancer & Bio-detection para alertar diabéticos quando sua condição se deteriora.

Um dos casos é o da menina Rebecca Farrar, que tem diabetes tipo 1. A cadela identifica através do odor da garota os níveis de alteração de açucar no sangue (percebido apenas pelos animais) e chama a atenção da criança, lambendo seus bracinhos para que ela e a mãe possam tomar as devidas precauções, antes de um possível colapso. A mudança do cheiro da pessoa, é o primeiro sinal, por isso pode-se tomar providências urgentes, antes de haver desmaios ou um possível colapso.

Na entrevista, uma das responsáveis pela organização Cancer & Biodetection, ClaireGuest, revelou que os cães são capazes de detectar doenças humanas pelo odor que se altera.

Para mais notícias, visite o site da BBC Brasil

sábado, 5 de junho de 2010

Passarinho também é PET‏

Criados principalmente por quem mora em apartamento, pássaros ganham mimos antes restritos a cães e gatos


Cães e gatos sendo tratados como integrantes da família não são mais novidades. Confinadas em apartamentos e sem muito tempo para o animal de estimação, muitas pessoas optam por ter um passarinho como pet. O carinho com que tratam as aves, o cuidado com a alimentação e o contato constante transformaram-nas em bichinhos de estimação queridos e também repletos de mordomias. Entre as novidades, rações específicas, de acordo com as espécies, gaiolas incrementadas e asas cortadas para que a ave possa circular livremente pela casa.

Entre as novidades de para alimentação, a linha Evicanto, da Evialis, criada para atender as necessidades nutricionais específicas das diferentes espécies de pássaros. Sua formulação conta com ingredientes especiais como probióticos para uma melhor saúde intestinal, e vitaminas que são essenciais para a vitalidade e integridade dos ossos e penas.

Segundo a gerente de produtos da Evialis, Érika Miklos, uma alimentação balanceada é fundamental para a saúde de qualquer animal, pois afeta diretamente a reprodução e a resistência dos filhotes. “Para as aves, comida em pouca quantidade significa interrupção na reprodução já que o instinto natural dos pássaros faz com que eles percebam que os filhotes passarão fome. Comida em excesso, por sua vez, causa obesidade que também dificulta a reprodução”, observa.

Ela acrescenta que a ração é ideal porque possui doses corretas de todos os nutrientes que as aves necessitam. “Além de ser uma opção mais econômica porque seu consumo é menor que os das sementes, a ração não necessita de adição de outros alimentos, é fácil e prática de manusear e é completa, podendo ser oferecida como fonte única de alimento”, afirma.

Linha Evicanto

A Linha Evicantos, da Evialis, é composta por quatro produtos completos destinados a diferentes espécies de pássaros, como sabiá, trinca-ferro, bicudo, curió, calopsitas, papagaios e periquitos. As rações oferecem o equilíbrio dos nutrientes para garantir que as aves mantenham uma dieta adequada. Além disso, oferecem benefícios como melhor digestibilidade e menor desperdício. Os produtos podem ser encontrados em todo o país.

Cuidados com o seu pássaro

Além da alimentação balanceada, o criador deve garantir ao pássaro água limpa e fresca todo o dia e um ambiente calmo para o descanso. Ambientes barulhentos podem afetar o comportamento dos pássaros.

A gaiola deve ser forrada com papel ou jornal e estes devem ser trocados diariamente. Também deve-se proteger o pássaro da exposição à temperatura extremas, nem muito frio nem muito quente.

Evialis

A Evialis, empresa francesa e uma das líderes mundiais em Nutrição Animal, está presente industrialmente em 16 países, possui mais de 74 unidades industriais e comercializa produtos e serviços em 50 países. A empresa possui mais de quatro mil funcionários e está presente no mercado mundial há mais de 50 anos. Para mais informações, visite http://www.evialis.com.br/

Atuando no Brasil há mais de 70 anos por meio da marca Socil e hoje também com as marcas Purina, Zoofort, Royal Horse, Evimix e Ocialis, o grupo Evialis possui fábricas localizadas em Barra Mansa (RJ), Canoas (RS), Contagem (MG), Descalvado (SP), Inhumas (GO), Paulínia (SP) e duas em São Lourenço da Mata (PE), além de sua subsidiária Zoofort, em Primavera do Leste (MT). O grupo atua nos mais diversos segmentos de nutrição animal: ruminantes, eqüinos, aqui-cultura, aves, suínos e pet-food, através do fornecimento de rações completas, suplementos minerais e premixes.

Ao redor do mundo, a empresa tem atuação no México, Espanha, Vietnam, Polônia, Indonésia, Bélgica, China e França.

Trata-se de um grande grupo especializado em nutrição animal, preparado e capacitado para proporcionar ao mercado tecnologias específicas e voltadas para cada objetivo e necessidade dos produtores rurais.

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Exposições de cães e gatos agitam a semana do Dia dos Namorados‏

EXPOSIÇÕES INTERNACIONAIS DE GATOS SÃO REALIZADAS EM SÃO PAULO NA SEMANA DO DIA DOS NAMORADOS

118ª e 119ª Exposições Internacionais de Gatos de Raça trará modelos de raça como os Maine Coons (gatos gigantes), Don Sphynx (sem pêlos), entre 200 felinos que farão parte do evento

O CBG (Clube Brasileiro do Gato) vai realizar duas exposições de gatos de raças nos dia 12 e 13 de Junho. Trata-se da 118ª e 119ª Exposições Internacionais de Gatos de Raça que acontece em São Paulo no bairro da Saúde. O evento acontece na semana do Dia dos Namorados e é uma ótima opção para quem quer passear e conhecer novas raças de gatos. Cerca de 200 felinos farão parte da exposição com a presença de juízes internacionais da Itália, Eslováquia e Argentina, que vão julgar os melhores exemplares de gatos dos criadores participantes. “As exposições são fundamentais para manter o padrão das raças e sua preservação. Essa é a luta do Clube Brasileiro do Gato”, afirma Gerson Alves Pereira, Presidente do CBG.
Destaque para raças como o Don Sphynx, conhecida pela total ausência de pêlo, o Ragdoll, que possui os olhos bem azuis e é conhecido como “boneca de pano”, por ser o único a relaxar completamente a musculatura quando manipulado pelas pessoas. Além do “gigante gentil”, o Maine Coon, maior gato de raça doméstico, que pode chegar a 11 Kgs e medir da ponta do focinho a ponta da cauda 1,10m. Outra raça muito interessante são os Bengals por lembrarem um leopardo em miniatura e os Persas que chegam a ter 4 vezes mais volume de pelos que um gato comum, entre outros. A exposição será aberta ao público com entrada franca.


Serviço:

118ª e 119ª Exposições Internacionais de Gatos de Raça
Quando: 12 e 13 de Junho a partir das 9h
Onde: Rua Traituba, 287 - Bosque da Saúde, São Paulo. (Clube Aquático do Bosque)
Informações: www.clubebrasileirodogato.com.br
Entrada Franca

MOSTRA DE CÃES E FLORES SÃO ATRAÇÕES EM CENTRO DE JARDINAGEM NO FIM DE SEMANA DO DIA DOS NAMORADOS
Maison Garden em São Paulo vai preparar arranjos especiais de flores durante o evento que conta com flores de todos os tipos, além de cães da raça Scottish Terrier, West Terrier, Bulldog Inglês, Pug e o Norfolk Terrier
O Maison Garden, localizado no Tatuapé em São Paulo, vai realizar uma mostra de cães de variadas raças nos dias 12 e 13 de junho, sábado e domingo, respectivamente. O evento terá o apoio do Canil Moonspark, criador filiado ao Kenel Clube de São Paulo, Confederação Brasileira de Cinofilia e Federação Cinológica Internacional, que vai levar cerca de cinco raças de cães, entre eles, alguns bem diferentes como o Norfolk Terrier, além do Scottish Terrier, West Terrier, Bulldog Inglês e o Pug. O Maison Garden também vai preparar arranjos de flores especiais e muitas opções de presentes para o Dia dos Namorados que acontece do dia 12 de junho. “Será um fim de semana que vai oferecer um passeio para quem gosta de cães e uma ótima opção para quem quer comprar um presente romântico para o fim de semana do Dia dos Namorados”, afirma Fernando Dentinho, Diretor Executivo do Maison Garden
A ação faz parte da comemoração de aniversário de um ano do centro de jardinagem que já realizou outra mostra de grande sucesso. Na ocasião o evento apresentou 10 exemplares de Maine Coons (gatos gigantes). “Oferecemos diversos tipos de flores, plantas, fontes artificiais grandes e pequenas, objetos de decoração, entre várias opções, além de realizar eventos interessantes para nossos clientes”, finaliza o Diretor.

Sobre o Maison Garden

O Maison Garden é um shopping de jardinagem com um conceito inovador que oferece aos seus clientes, em um espaço de mais de 1.200 m², produtos para paisagismo, Pet Shop, inúmeras espécies de flores, acessórios, plantas ornamentais para residências e escritórios, mudas frutíferas, espécies exóticas, entre tantos outros atrativos, em um só local. Inaugurado em 2009, o estabelecimento possui um serviço especifico e inovador que é o planejamento e construção de lagos artificiais, estrutura completa, restaurante e estacionamento próprio com segurança especializada.

Serviço:
Mostra de Cães
Endereço: Av: Salim Farah Maluf, 1880 - Tatuapé - S.Paulo
Quando: 12 e 13 de junho
Horário: Das 10h às 17h
Informações: (11) 2605.8550 ou floriculturamaison@globo.com
http://www.maisongarden.com.br/
Entrada franca

sábado, 22 de maio de 2010

Ana Hickmann abre seu guarda-roupa em favor dos cães abandonados

Apresentadora é a mais nova personalidade a apoiar o programa PEDIGREE® Adotar é tudo de bom e irá colocar itens pessoais à venda, com renda revertida em prol de ONGs que cuidam de animais a espera de um lar

Maio foi um mês especial para o programa PEDIGREE® Adotar é tudo de bom. Em mais uma parceria solidária e cheia de estilo, a apresentadora Ana Hickmann participou para ajudar a causa dos mais de 20 milhões de cães abandonados que vivem no Brasil. Ana abriu seu guarda-roupa e colocou objetos pessoais à venda, com a renda revertida em prol da campanha. A participação de Ana Hickmann seguiu o calendário de vendas especiais promovidos pelo programa no espaço PEDIGREE® Adotar é tudo de bom da loja À LA GARÇONNE, em São Paulo.

"A atenção e carinho com que uma personalidade relevante como ela trata esta causa, só no faz acreditar cada vez mais que é possível sim mudar a realidade do cenário de abandono em que vivem os cães no Brasil”, comenta Cynthia Schoenardie, gerente responsável pelo programa PEDIGREE® Adotar é tudo de bom.
A venda especial de Ana, aconteceu desde o dia 8 de maio e a apresentadora colocou mais de 60 itens à disposição do público, incluindo peças de seu guarda-roupa pessoal, além de roupas utilizadas em momentos marcantes de sua carreira. “Fiz questão de separar peças lindas e que fizeram parte da minha história e carreira. A venda especial será um ótimo momento para as pessoas renovarem seu visual, presentear com itens exclusivos e o principal: ajudar a causa dos cães abandonados”, explica Ana Hickmann.
Para 2010, estão programadas outras vendas especiais mensais, todas com a venda de objetos pessoais de celebridades que abraçaram o programa PEDIGREE® Adotar é tudo de bom. “Outros nomes de peso já estão confirmados, mas ainda em sigilo”, revela Cynthia.
Sem prazo específico para acabar, o programa PEDIGREE® Adotar é tudo de bom continuará reforçando a importância da causa dos cachorros abandonados. Já em seu segundo ano de campanha, a ação acumulou novas estratégias, parceiros e uma série de atividades que ajudaram a promover até aqui a adoção direta de 10.558 cachorros abandonados.

Confira alguns itens de Ana Hickmann que estiveram à venda:




· Vestido prata Cori: Ela fez a campanha da Cori no ano de 2001/2002 e acabou ganhando esta peça de presente posteriormente, que foi utilizada no seu réveillon de 2002 – R$ 120,00
· Saia de cetim preta Cori: R$ 80,00







· Vestido de malha com alça de lantejoulas: Ana usou esta peça em suas primeiras aparições na TV, como colunista de um quadro de moda do programa Tudo à Ver. A partir deste programa, Ana chamou a atenção do pessoal da TV Record e recebeu convite para ser uma das apresentadoras do programa Hoje em Dia; R$ 60,00;






· Vestido Roberto Cavalli: feito de malha fria com uma estampa remetendo escama de peixe. R$ 230,00












· Corset preto: R$ 150,00








· Roupa de praia: R$ 30,00


Adotar é tudo de bom na internet
Portal: http://www.adotaretudodebom.com.br/
Twitter: http://twitter.com/adotaretudodbom  (com d mudo)
Orkut: http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=51107961
Flickr: http://www.flickr.com/groups/adotaretudodebom
Yahoo! Grupos: http://www.adotaretudodebom-yahooespeciais-grupos.com/
Facebook: http://www.facebook.com/pages/PEDIGREER-Adotar-e-tudo-de-bom/120701259441?ref=nf

Sobre a Mars Brasil
A Mars Brasil é uma divisão da Mars, Incorporated, uma das maiores fabricantes de alimentos do mundo. Com aproximadamente R$ 650 milhões em vendas anuais, seus produtos nos segmentos de alimentos, chocolates e alimentos para animais de estimação são símbolos de excelência e de alta qualidade. A Mars Brasil conta com mais de 1.400 associados em cinco unidades, incluindo três fábricas. A empresa é proprietária de algumas das marcas mais populares do mundo, incluindo M&M’S®, SNICKERS®, TWIX®, UNCLE BEN’S® e os alimentos para animais de estimação PEDIGREE® e WHISKAS®. Outras informações podem ser obtidas pelo: http://www.mars.com.br/

segunda-feira, 3 de maio de 2010

EXTINTO MATERNO NO MUNDO ANIMAL É EXEMPLO PARA SERES HUMANOS

Num Zoológico na Califórnia essa Tigresa deu cria a 3 tigrinhos que infelizmente não resistiram às complicações da 'gravidez' e morreram logo após o nascimento.
A Mãe-Tigresa, depois de se recuperar do parto, começou a piorar seu estado de saúde, mesmo que fisicamente ela estivesse bem.
Os veterinários sentiram que a perda da cria causou uma profunda depressão na tigresa. Os médicos decidiram que, se a tigresa adotasse a cria de uma outra mãe, talvez melhoraria. Após checar com vários
zoológicos pelo país, tiveram a triste notícia de que não havia nenhuma cria de órfãos tigrinhos na mesma idade para levar para a mãe tigresa.
Os veterinários então decidiram tentar algo que nunca teria sido tentado antes em um zoológico.
Às vezes, a mãe de uma espécie cuida dos filhotes de uma diferente espécie. Os únicos órfãos que puderam ser encontrados rapidamente foram as crias de uma porquinha. Os funcionários do Zoológico e os
veterinários revestiram os porquinhos em pele de tigre e colocaram os bichinhos ao redor da mãe tigre.
Eles virariam a cria da tigresa ou lombinho???
Dê uma olhada... você não vai acreditar nos seus olhos!

DECRETO PREVÊ MICROCHIP EM CÃES E GATOS

Ministério da Agricultura está elaborando normas para definir a aplicação de identificação eletrônica

Decreto publicado no Diário Oficial da União da edição do dia 30 de março determina que cães e gatos em viagens internacionais apresentem passaporte. O documento trará informações sobre o dono, o animal, as vacinas e os exames exigidos pelos países.

O decreto prevê também a implantação de microchip para identificação eletrônica. Para a entrada nos países da União Européia e Japão, o microchip já é obrigatório.

Líder no segmento de identificação eletrônica lança novo produto
A VIRBAC traz ao Brasil o seu mais recente lançamento, o BackHome Biotec, primeiro microchip feito de material bio-polimétrico, 20% mais leve que os microchips de vidro, o que reduz em até 80% a chance de migração. É inquebrável e totalmente biocompatível.

O sistema de identificação eletrônica BackHome Biotec oferece o armazenamento de um banco de dados mundial e um suporte de atendimento para o usuário. A empresa é líder mundial neste segmento de identificação.

A identificação eletrônica é permanente e segura. O microchip é implantado, sem dor, na pele do animal, próximo da nuca. O cadastramento de animais e proprietários é uma medida muito importante para o controle populacional de cães e gatos e para o controle de zoonoses. Em São Paulo, assim como em muitos municípios do país, já é Lei a identificação de cães e gatos. Além disso, este sistema permitirá, em muito, a diminuição do abandono de animais.

Como funciona?
O primeiro passo é procurar o médico veterinário de sua confiança para implantar o microchip na nuca do animal. Uma vez instalado, o proprietário recebe uma placa de identificação com o número da Central de Atendimento Virbac que deverá ser colocada, de preferência, na coleira do seu pet. Caso o animal perca o rumo de casa, basta a pessoa, que encontrá-lo, procurar um médico veterinário mais próximo que tenha o aparelho de identificação. Ao rastreá-lo o médico terá todas as informações do proprietário em mãos. Se o veterinário não possuir uma leitora, por meio da plaqueta de identificação Backhome, que o animal deverá portar, ele conseguirá entrar em contato com a Central de Atendimento, que indicará a clínica mais próxima que possua uma leitora.

Como Cadastrar?
O BackHome BioTec é um banco de dados mundial para cadastramento de animais identificados eletronicamente. Nele, é possível cadastrar, procurar animais perdidos e localizar os donos de animais encontrados. O cadastramento é simples e seguro, feito por intermédio do site. Além dos dados cadastrais do animal, proprietário e veterinário responsável, o banco de dados permite ainda o arquivamento de informações úteis, como: lembretes de vacinação e vermifugação e histórico clínico, entre outras. O usuário ainda conta com um suporte de Atendimento (0800 136533) para auxílio nos casos em que não for possível conectar à internet.

Sobre o Produto
Microchip FDX-B(ISO standard)
Produzido de acordo com as normas ISO 11784 e NBR 14766, encapsulado em polímero bio compatível PMMA (Polymethylmethacrylato). O microchip bio-polimétrico é totalmente seguro e 20% mais leve que os microchips de vidro, o que reduz em até 80% a chance de migração
Leitora BackHome V500
Especialmente desenvolvida para facilitar o uso. Compatível com os seguintes transponders: FDX-B (ISO standard 11784/85), FDX-A (Destron/FECAVA, Avid/FECAVA), HDX (Tiris) e EM H4102. Possui memória para mais de 1.000 códigos e pode ser ligada diretamente a um computador.
Aplicador BackHome
Possui design anatômico que facilita a aplicação pelo médico veterinário. São equipados com o sistema "Click anti-retorno" que garante a correta e segura aplicação do microchip no tecido subcutâneo.

• Exclusivo microchip biopolímero PMMA: maior segurança, material inquebrável e totalmente biocompatível.
• Redução de até 80% no risco de migração dos microchips quando comparado aos microchips clássicos de vidro.
• 20% mais leve que os microchips de vidro.
• Exclusivo aplicador ergonômico com sistema "click anti-retorno".
• Evita eventual sucção do microchip.
• Assegura posicionamento em local adequado.
• Segurança e credibilidade do líder mundial em identificação eletrônica de animais de companhia.
• Aplicadores individuais e microchips esterilizados.
• Leitora ISO com memória pra mais de 1.000 códigos, que pode ser ligada a um computador. Lê microchips ISO FDX-B, ISO HDX (Tiris), FDX-A (Dextron/FECAVA, Avid/FECAVA) e EM H4102.
• Banco de dados completo.
• Central de atendimento para suporte ao usuário (0800 136533).

Serviço:
Produto - BackHome BioTec

Onde encontrar - Pets shops e clínicas veterinárias do país

Preço sugerido:
• Microchip - consumidor final, entre R$ 100,00 e R$ 120,00 (aplicação única);
• Leitora - para profissionais - entre R$ 950,00 e R$ 1.000,00