Assista nossos programas:

domingo, 14 de junho de 2009

CACHORRO CANSADO é CACHORRO FELIZ

Ah que vida boa meu cachorro tem. Ele tem cama, ele tem comida, ele tem casa, ele tem um dono maravilhoso como eu... será????

O nosso lema sempre foi "cachorro cansado é cachorro feliz". Claro que quando falamos de cachorro cansado estamos nos referindo a cansados física e mentalmente, de forma sadia, e não cansados de não fazer nada, cansados de ficar sozinho o dia todo, cansados dos mesmos brinquedos e passeios corridos e irregulares.
Um cachorro entediado, sozinho e acorrentado. Ele é feliz?
Se o seu cachorro estiver sendo exercitado e estimulado na medida certa, pode acreditar que você também será um dono feliz e muito mais satisfeito com a relação com o peludo.

Exercícios físicos trazem uma série de benefícios para nós e para nossos amigos de quatro patas: previne obesidade, deixa os músculos mais tonificados, fortes e bem definidos, aumenta a capacidade cardiovascular e respiratória, melhora a qualidade do sono, diminui as chances de doenças como certos tipos de câncer, melhora o humor, ajuda a relaxar e diminui estresse e ansiedade, fortalece os ossos e ainda ajuda a conhecer novas pessoas e fazer novos amigos, humanos e caninos. Não é pouca coisa e isso nem é o começo!

PUXA, NADA PARA FAZER....
A consequência desta falta de atividade física e mental são os comportamentos destrutivos, o excesso de latidos e choros, as lambeduras compulsivas, o comportamento agitado e inquieto perto das pessoas, a falta de higiene (sim, falta de exercício tem impacto até a higiene do peludo), comportamento antisocial com outros cães e outras pessoas, agressividade, obesidade, diabetes, doenças degenerativas das articulações... Está até parecendo aquela música que só fala de doenças, não é mesmo? Mas estas consequências são reais e quase uma certeza absoluta para nossos amigões sedentários e solitários.
A verdade é que a grande maioria dos cães não é exercitada regularmente e não recebe o tanto de atenção que precisam para se sentirem felizes. Costumamos ouvir dos donos que eles saem muito cedo para trabalhar e voltam muito tarde. Tem muitas obrigações e não conseguem ter tempo nem para eles mesmos. O cachorro acaba saindo uma vez por dia, rapidinho, para fazer um xixi e um cocô. Quando sai!
Os peludos costumam ficar o dia todo sozinhos, sem nada para fazer, sem ninguém para educá-los. Mesmo os que moram em casas com quintal se distraem muito pouco pois, se não forem motivados e orientados, os peludos vão ficar o dia todo deitados num canto, esperando uma oportunidade real de ação.

"Como eu passei o dia inteiro sozinho eu encontrei uns brinquedos bacanas!"
Os exercícios são tão importantes para nossos amigos de quatro patas quanto são para nós. Nossos cães são pequenas máquinas de trabalho, criados para caçar, farejar, exterminar roedores, fazer patrulhas e guardar nossa propriedade, correr, nadar... Até aqueles criados para ficar essencialmente no nosso colo, nos fazendo companhia, precisam de um pouquinho de exercício físico, bastante exercício mental, e toneladas de companhia humana.
Como os humanos os cachorros também ficam obesos quando pouco exercitados
Os peludos são animais progamados geneticamente para viver em comunidade, servir ao ser humano, trabalhar para conquistar sua comida. As facilidades da vida moderna e urbana não ajudam em nada a saúde deles. Então vamos supor que esse artigo conseguiu chamar a sua atenção e deixou seu coração comovido o suficiente para querer mudar a sua vida e a de seu peludo!!!!!

O que e como podemos fazer para tornar a atividade física mais fácil, segura e produtiva para você e seus peludos????? Por onde começar???

Passear faz bem para o dono e para o cachorro

Pra começar é preciso dar uma passada no veterinário. Não custa nada fazer um pequeno checkup no cachorrão e ficar com a consciencia tranquila de que ele pode começar um programa de exercícios. Filhotes, cadelas grávidas, cachorrros com mais de 7 anos, peludos que saíram recentemente de uma doença e cachorros obesos ou com problemas nas articulações merecem cuidados especiais e não é bom pegar pesado com eles.
Se o seu cachorro tem displasia coxo-femural (infelizmente uma condição muito comum nos peludos de raça de grande porte como Labradores, Golden, Rottweilers, Pastores Alemães, entre outros) converse com o veterinário para estabelecer um programa específico de exercícios para seu amigão. Ao contrário do que muitos pensam estes peludos precisam de exercícios regulares também, principalmente para fortalecer a musculatura e assim proteger as articulações e diminuir a dor e o desconforto que eles normalmente sentem, além é claro, de manter controle sobre o peso.

Cachorros gordinhos sofrem muito mais desgaste nas articulações do que os magros. Nunca exercite seu cão logo depois dele se alimentar. Sempre espere algumas horas antes de colocar seu cão para correr para evitar o risco de ele ter uma torção gástrica. Aproveite para conversar com o seu veterinário a este respeito quando for fazer a consulta.
Um cachorro gordo e entediadoSe o seu peludo está entre as raças que precisam usar focinheiras para ir à rua, use somente aquelas que permitem que ele abra a boca para fazer a troca de calor, nunca as que fecham o focinho.

Nunca force seu cão a andar "só mais um pouquinho" quando ele demonstra sinais de cansaço e desconforto. Espere alguns minutos até ele se recuperar, ofereça um pouquinho de água e volte para casa. É importante ir condicionando-o fisicamente aos poucos. Sempre que voltar do passeio verifique as unhas e as patinhas para ver se não estão esfoladas, cortadas, ou sangrando.


E quanto exercício é o bastante?
Como saber se estamos forçando demais ou nossos peludos estão sendo pouco exercitados?
Na verdade não existe uma regra, uma fórmula científica, que estabeleça qual é a quantidade ideal de exercício para os cães. Depende muito da raça, do porte, do estado geral de saúde e da idade do seu amigo.
Cachorros adolescentes e adultos jovens normalmente precisam gastar muito mais energia do que os filhotinhos (de até 4 meses) e os peludos velhinhos. Um Poodle de 1 ano e meio vai precisar de mais exercícios do que um Pastor Alemão de 6 anos. De modo geral sair só uma vez por dia é muito pouco para qualquer cão. Duas, ou três vezes seria muito melhor e se os passeios somados derem, pelo menos, uma hora já estamos chegando perto de algo razoável.


Um Beagle andando solto mas com a segurança da Guia Longa
O importante também é a gente não enrolar a semana toda e tentar compensar tudo nos fins de semana. Esportistas de fim de semana sabem que este tipo de esforço só serve para deixar a gente moído e cheio de lesões.
Procure reservar uma parte do dia para jogar bolinha, correr atrás dele e brincar mais intensamente com seu peludo. Nem que seja por meros 20 minutos. Se houver um lugar seguro para você deixar que ele corra livremente, sem coleiras nem guias (MAS ATENÇÃO PARA QUE SEJA UM LOCAL REALMENTE SEGURO), então seu cão vai poder experimentar um pedacinho do paraíso.


Mais cães felizes brincando e se exercitando


Tome cuidado para não forçar muito seu cachorro de um dia para o outro. Os sinais mais claros de que você está indo além da capacidade dele é o cachorro não querer sair, parar no meio do caminho, se jogar no chão e não querer andar mais. Patas esfoladas ou rachadas também são indicativos de que seu peludo andou mais do que deveria e, é claro, o clássico corpo dolorido no dia seguinte.
Se você chegar em casa e seu cão ainda estiver cheio de energia e vontade de aprontar, sinto muito informar, mas é porque o exercício não foi suficiente. É importante ter paciência e condicionar os cães aos poucos, variar os exercícios e os locais dos passeios, escolher sempre os horários mais frescos do dia, ser consistente e tornar tudo sempre o mais divertido possível para vocês dois.
*
*
*
*
*
*

Mural:

Educação a Distância